Notícias

Endocrinologista do Hospital Pilar esclarece sobre problemas da Tireoide

21/11/2019 18:09:43

Sensação de cansaço, sonolência, diminuição de apetite, ansiedade, estresse e irritação nem sempre são sinais de que a mente não está bem. Esses podem ser sintomas relacionados às doenças da glândula tireoide. A tireoide é uma glândula que todas as pessoas têm. Ela é responsável por produzir o hormônio da tireoide. Distúrbios na produção destes hormônios (excesso ou falta deles) podem caracterizar doença. A mais comum é o hipotireoidismo, quando há deficiência na produção de hormônios T4 (tiroxina) e/ou T3 (triiodotironina). O excesso de produção caracteriza o hipertireoidismo. 

De acordo com a endocrinologista do Hospital Pilar, Silvana Aniella Muraro da Silva (CRM-PR 19802 / RQE 16771), "o hipotireoidismo é a patologia mais frequente. Entre os sintomas estão sensação de frio, fraqueza, alterações na memória e concentração, constipação intestinal, ganho de peso (de dois a três quilos), queda de cabelo, cansaço e alterações menstruais, pele seca e hipertensão arterial, sintomas que podem ser confundidos com outras doenças como depressão, anemia, falta de vitamina, entre outras”, explica a especialista.

Já no hipertireoidismo, os pacientes podem apresentar “taquicardia, nervosismo, irritabilidade, emagrecimento sem causa aparente, aumento do volume do pescoço, tremor, sudorese excessiva, pele quente e úmida, palpitação, fadiga, falta de ar, diarreia, distúrbios menstruais e olhos saltados (exoftalmia)”, destaca Silvana.

A médica orienta que, caso a pessoa apresente algum destes sintomas ou tenha alguém com doenças de tireoide na família, o recomendado é procurar consulta com um endocrinologista. O diagnóstico é feito após avaliação de história clínica e exames físico e de sangue. O tratamento consiste em reposição de hormônio tireoidiano no caso do hipotireoidismo. No hipertireoidismo o tratamento pode ser feito com medicamentos, cirurgia ou iodoterapia.

“É muito importante buscar auxílio médico, pois as complicações da falta de tratamento podem ser bastante sérias. O hipotireoidismo pode resultar em infertilidade, aumento do risco de doença coronariana e em casos extremos a um quadro de coma. Já o hipertireoidismo não tratado pode levar à osteoporose, arritmias cardíacas, fibrilação atrial e até mesmo à psicose”, detalha. Para finalizar, a endocrinologista afirma ser importante não ignorar o mau funcionamento da tireoide, sendo essencial conversar com o especialista quais as recomendações e o melhor tratamento, seguindo o que for orientado.


 

voltar